#MaisLivrosMenosArmas (2018-)

 

Em outubro de 2018, no Brasil, dentro do contexto de uma campanha eleitoral marcada pelas fake news e pelo discurso de ódio, a hashtag #MaisLivrosMenosArmas surgiu nas redes sociais afim de mobilizar eleitores a escolher uma obra literária para acompanhá-los na hora de votar. A ação foi um protesto em favor da democracia e dos direitos humanos, além de ser contra o candidato fascista de extrema-direita. No primeiro turno das eleições, apoiadores desse candidato foram às urnas portando armas de fogo. Além disso, ainda fotografaram e gravaram – ilegalmente – vídeos dos revólveres no momento do voto nesse tal candidato. Por isso, em resposta, muita gente decidiu ir votar com livros no segundo turno.

À vista disso, proponho a série #MaisLivrosMenosArmas afim de deixar o movimento dessa hashtag vivo independentemente do resultado da eleição brasileira de 2018. O intuito será apresentar uma obra literária a cada eleição presidencial desse país.

 

Imagem da obra no espaço expositivo em breve.

Paulo Aureliano da Mata, 28 de outubro de 2018, 2018. Fotografia, 10 x 10 cm; Colagem, 29,7 x 21 cm

 

HISTÓRICO

[2019] Exposição Tão Só o Fim do Mundo. Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães, Portugal.