Tales Frey

IDE!

 

Tales Frey (Cia. Excessos), IDE!, 2014. Vídeo, 4’55”. Edição: 5 + 2 P.A.

Edição 1/5 pertence a Pinacoteca João Nasser. Catanduva, SP, Brasil

 

CONCEITO

Ide! é o modo imperativo afirmativo na segunda pessoa do plural e também faz alusão ao id que, segundo o modelo triádico do aparelho psíquico, é formado pelas pulsões, pelos instintos, pelos desejos inconscientes não freados pelo superego. A videoperformance Ide! estabelece um caminho de fora para dentro, do exterior rumo à subjetividade, evidenciando as várias camadas e as artificialidades (ou comportamentos direcionados ao ego) até chegar ao encontro com um verdadeiro núcleo.

A ação estabelece duas relações: o ritual que envolve a morte de um sujeito, bem como a renovação de alguém que se propõe a abandonar o excesso de proteção que, antes, escondia a sua verdadeira essência.

 

AÇÃO

Despido de roupas e de outros acessórios atrelados ao pudor, ao enfeite ou à proteção, deito-me sobre um chão de terra e, gradativamente, retiro camada por camada de uma cebola que aciona lágrimas nos meus olhos. Descamo a cebola até que ela seja completamente desfeita e, então, cavo com as mãos um pequeno buraco. Por fim, enterro as camadas que compunham a cebola.

 

HISTÓRICO

[2016] A Natureza da Margem, 20ª edição do festival Queer Lisboa, curadoria de José Aparício Gonçalves. Oficina Irmãos Marques, Lisboa, Portugal.

[2015] Projeto transdisciplinar TRANS[acto]#02/2015. Curadoria Anderson Paiva, Cinthia Patroni e Isabel Maria Dos. Fachadas do centro histórico, Boa Vista, Brasil.

[2014] 18º Salão de Artes Plásticas de Catanduva. Salão de Exposições, Estação Cultura, Catanduva, SP, Brasil.

[2014] Performance-instalação/exposição Orexia de Tales Frey (Cia. Excessos). Barracão Maravilha, Rio de Janeiro, Brasil.