Coração Selvagem (2013-17)

 

Paulo Aureliano da Mata, Coração Selvagem, 2013-17. Vídeo, 4’50’’. Edição: 5 + 2 P.A.

Edição 1/5 + 2 P.A. pertence ao Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

 

Nada posso dizer ainda dentro da forma. Tudo o que possuo está muito fundo dentro de mim.

Clarice Lispector

 

A minha visão materializada na pintura fílmica autobiográfica Coração Selvagem (2013-17) revelou-me como um ser afastado emocionalmente do mundo durante um certo período de tempo de minha vida. Através desse diário visual construído em minha casa a partir de memórias de uma viagem à Turquia, enquanto filmava, procurei traçar o cotidiano diante de mim pela singela experiência em observar a luz do ambiente na tentativa de compreender que vidas se perdem e se cruzam em labirintos formados.

 

HISTÓRICO

[2019] 2º Refluxo – Festival Experimental de Artes. Centro Cultural UFG, Goiânia, GO, Brasil.

[2019] Senado Tomado #8. Despina, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

[2019] 22ª Rencontres Traverse Vidéo: L’Expérimental {recherche/art}. Cinéma ABC Toulouse, Toulouse, França.

[2019] Exposição Tão Só o Fim do Mundo. Texto de Camila Alexandrini. Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães, Portugal.