Tales Frey

Il Faut Souffrir pour Être Belle (2018)

 

Tales Frey, Il Faut Souffrir pour Être Belle, 2018. Fotografia, Edição: 5 + 2 P.A.

 

Tales Frey, Il Faut Souffrir pour Être Belle, 2018. Videoperformance, 2’03’’. Edição: 5 + 2 P.A.

 

Sobre as pontas de dois pregos grandes, apoio os meus calcanhares e equilibro-me sobre tais objetos por um pequeno recorte de tempo, aludindo ao uso do salto alto e a relação da moda e do ideal de beleza à dor. Fatalmente, o mito de Aquiles é incorporado não apenas pelo signo dos calcanhares como pontos frágeis do corpo sujeitado à ação, mas pela apresentação de um corpo dito masculino submetido a um procedimento atribuído ao taxado por feminino numa sociedade que ainda renega o que não é binário e heteronormativo e, assim, o corpo assoalhado – que consiste em um par de pernas – é sublinhado como vulnerável por relacionar pelos corporais com a sugestão de um adorno corporal, embora sejam apenas pregos.

 

Para além dos dispositivos do vídeo, do objeto e da fotografia, este trabalho pode ser apresentado como performance ao vivo.

 

HISTÓRICO

AO VIVO

[2019] Exposição Metáforas Funcionais para Corpos no Espaço. Galeria Monumental, Lisboa, Portugal.

 

SOB O FORMATO DE FOTOGRAFIA, VÍDEO E/OU OBJETO

[2021] Be Ing – Genre / Identités / Représentations. Espace D’art Contemporain: L’angle. La Roche-Sur-Foron, França.

[2021] Poético ou Político. Mupy Gallery. Porto, Portugal.

[2021] Montanhas D’Artes – Festival de Artes de Oliveira do Hospital, Paços do Concelho do Município, Oliveira do Hospital, Portugal.

[2021] O Que Pode Um Corpo?, SP-Arte 365 e Galeria Verve, São Paulo-SP, Brasil.

[2020] SP-ARTE Viewing Room. Galeria Verve. Programação On-Line. São Paulo-SP, Brasil.

[2020] Como Será o Amanhã? Arte Veine. Programação On-Line. Curadoria de Nelson Ricardo Martins. Rio de Janeiro-RJ, Brasil.

[2020] IV Encontro Intercontinental e Intergaláctico de Performance – Buraco Negro, Caia Dentro. Casa Madá, Londrina-PR, Brasil.

[2019] 9th Under the Subway Video Art Night. Curadoria de Antonio Ortuño. Open Air Art Movie Cinema em Düsseldorf, Alemanha; JCC Harlem em Nova York, EUA; El Más Acá Club Cultural em Buenos Aires, Argentina; Atelier Sanitário no Rio de Janeiro (com a organização de Bruna Costa), Brasil; Convent Carmen em Valência, Espanha; Genalguacil Pueblo Museo em Málaga, Espanha; ArtSpace na Cidade do México.

[2019] Tijuana Performera. Espaço Enclave Caracol, Tijuana, México.

[2019] Exposição Metáforas Funcionais para Corpos no Espaço. Galeria Monumental, Lisboa, Portugal.

[2019] Exposição Cinco Táticas de Ativação. Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães, Portugal.

[2018] Exposição The Body Never Exists in Itself – First Experimentation. Zsenne Art Laboratory, Bruxelas, Bélgica.

 

Il Faut Souffrir pour Être Belle (2018) na exposição coletiva Poético ou Político?, com curadoria de João Baeta. Mupi Gallery, Porto, Portugal. Fotografia de João Pádua/Saco Azul