Tales Frey

O Corpo Nunca Existe em Si Mesmo – Variante I (2018)

 

Tales Frey, O Corpo Nunca Existe em Si Mesmo – Variante I, 2018. Objeto performativo, 120 x 40 x 6 cm. Edição: 2 + 2 P.A.

 

Cinco performers transitam durante uma hora, lado a lado, com os seus pés conectados por sapatos especiais. Por um lado, presumimos um harmonioso convívio entre as singularidades distintas que estão expostas e, por outro, percebemos as suas diferenças alinhadas em um condicionado viver em ventriloquia.

 

O trabalho pode ser exposto como objeto interativo e ativado a partir da seguinte instrução:

Deixem os seus próprios sapatos na área indicada. Calcem os sapatos especiais e transitem pelo espaço. Sempre em silêncio… E pelo máximo de tempo que conseguirem. Ao terminarem, coloquem os sapatos de volta no lugar. A ação pode ser ativada por 2, 3, 4 ou 5 pessoas.

 

FICHA TÉCNICA

Performance de Tales Frey | Performers convidadas(os): Fernanda Moraes, Gustavo Frey, Lyz Parayzo, Paola Frey, Rafael Holland e Vítor Moraes. | Duração: 60 minutos

 

HISTÓRICO

AO VIVO

[2019] SESC Interlagos, São Paulo-SP, Brasil.

[2019] SESC Jundiaí, Jundiaí-SP, Brasil.

[2018] SESC Av. Paulista, São Paulo-SP, Brasil.

 

SOB O FORMATO DE VÍDEO E/OU OBJETO

[2019] Exposição Em Posições de Dança. Curadoria de Daniela Labra. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro-RJ, Brasil.

[2019] Exposição Metáforas Funcionais para Corpos no Espaço. Galeria Monumental, Lisboa, Portugal.

 

Tales Frey, O Corpo Nunca Existe em Si Mesmo – Variante I, 2018. Vídeo, 4’13”

 

O Corpo Nunca Existe em Si Mesmo – Variante I (2018), de Tales Frey, na exposição coletiva Em Posições de Dança. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro-RJ, Brasil, 2019. Fotografia de Mãe Paulo

 

Ativação da obra O Corpo Nunca Existe em Si Mesmo – Variante I (2018), de Tales Frey, na exposição coletiva Em Posições de Dança. Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica, Rio de Janeiro-RJ, Brasil, 2019. Fotografia de Mãe Paulo