Tales Frey

Biografia

 

TALES FREY (Catanduva, SP, Brasil. 1982) vive e trabalha entre o Brasil e Portugal. Artista transdisciplinar, realiza obras amparadas tanto pelas artes visuais como cênicas. Atualmente, integra o programa de pós-doutorado do Centro de Estudos Humanísticos da Universidade do Minho, onde foi convidado para integrar um grupo de estudos em performance. Em 2016, concluiu um doutorado em Estudos Teatrais e Performativos pela Universidade de Coimbra em Portugal, onde desenvolveu a tese-projeto (Practice-led ResearchPerformance e Ritualização: Moda e Religiosidade em Registros Corporais. Fez Mestrado em Estudos Artísticos com especialização em Teoria e Crítica da Arte pela Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto e uma especialização em Práticas Artísticas Contemporâneas pela mesma instituição. Tem graduação em Artes Cênicas com habilitação em Direção Teatral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, instituição onde manteve vínculo para cursar Indumentária pela Escola de Belas Artes.

Alguns de seus trabalhos integram permanentemente acervos como o do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo, MAC-USP, no Brasil; do Museu Bienal de Cerveira em Portugal; do Instituto Municipal de Arte y Cultura de Puebla no México; e o da Pinacoteca João Nasser (Catanduva, SP, Brasil).

Recebeu o Prêmio Aquisição Câmara de Vila Nova de Cerveira na XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira em 2017; Menção Honrosa na II Bienal Internacional de Arte Gaia em 2017; prêmio de Artista Revelação no Salão Contemporâneo do 18º Salão de Artes Plásticas de Catanduva em 2014; e o prêmio de melhor figurinista no Aldeia FIT 2006 em São José do Rio Preto-SP.

Ao vivo, dentre os principais lugares, apresentou-se nos seguintes contextos: Performance Platform Lublin na Polônia na Galeria Labirynt; Rapid Pulse International Performance Art Festival na Defibrillator Gallery em Chicago; AMOQA – Athens Museum Of Queer Arts em Atenas; ATMO em Berlim; SESC Tijuca no Rio de Janeiro; Teatro Municipal Rivoli na cidade do Porto; Casa França-Brasil no Rio de Janeiro; Festival MIRADA no SESC Santos; Espaço DARC em Londres; XX Queer Lisboa; Projeto Mix Dança no SESC Palladium; Presença Permeável na Praça das Artes/Fundação Theatro Municipal de São Paulo, Teatro Académico de Gil Vicente em Coimbra; Circo Voador no Rio de Janeiro; Funarte-São Paulo; Caixa Cultural Rio de Janeiro, entre outros.

Junto da Cia. Excessos, vale realçar as seguintes exposições individuais realizadas: À Maneira da Ferrugem no Centro Cultural da Justiça Federal no Rio de Janeiro sob curadoria de Raphael Fonseca; To be Privy na Corner Window Gallery em Auckland, Nova Zelândia, com curadoria de Rob Garret; A Ilha na galeria Sput&Nik na cidade do Porto, com curadoria de Susana Rodrigues; Sob (Ul)trajes e Gozos no Museu Julio Dinis em Ovar sob a curadoria de Suianni Macedo; e (Tra)vestir um Fa(c)to no Espaço MIRA na cidade do Porto.

Dentre as exposições coletivas, festivais e demais eventos que participou, destacam-se: XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira; II Bienal Internacional de Arte Gaia; tpa Exchange na Galleria Moitre em Turim; I Bienal da Maia: Lugares de Viagem; Kuala Lumpur 7th Triennial – Barricade; The Biennial 6th Bangkok Experimental Film Festival (BEFF6); The Kichen em New York no lançamento do Emergency Index Vol.1, entre outros.

Com Paulo Aureliano da Mata, realizou as seguintes curadorias que aqui são ressaltadas: Mostra Performatus #2 no SESC Santos em 2017; Mostra Performatus #1 na Central Galeria de Arte em São Paulo em 2014; ÁguaAr de Suzana Queiroga no CAAA em Guimarães em 2015; Trabalha-Dores do CU no Maus Hábitos na cidade do Porto em 2015, entre outras.

Como artista, Tales é representado pela Galeria Monumental de Lisboa. É membro fundador da revista eletrônica Performatus e da Cia. Excessos. Autor do livro Discursos críticos através da poética visual de Márcia X. e organizador, com Paulo Aureliano da Mata, da catalogação Evocações da Arte Performática (2010-2013) e do livro Quinze Anos de Minha Vida, de Loïe Fuller.

 

Exposições Individuais (Cia. Excessos)

[2018]

À Maneira da Ferrugem. Centro Cultural da Justiça Federal. Curadoria de Raphael Fonseca. Rio de Janeiro, Brasil.

 

[2017]

To be Privy. Curadoria de Rob Garrett. Corner Window Gallery, Auckland, Nova Zelândia.

[2016]

A Ilha. Galeria Sput&Nik. Curadoria de Susana Rodrigues. Porto, Portugal.

Memento Mori. Coletânea de performances. CAAA – Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura. Guimarães, Portugal.

Memento Mori. Coletânea de performances. SESC Sorocaba. Sorocaba-SP, Brasil.

Memento Mori. Coletânea de performances. SESC Ribeirão Preto. Ribeirão Preto-SP, Brasil.

Sob (Ul)Trajes e Gozos. Curadoria de Suianni Macedo. Museu Julio Dinis – Uma Casa Ovarense. Ovar, Portugal.

Em Estado de Guerra. Teatro Académico Gil Vicente. Coimbra, Portugal.

 

[2015]

SESC Santos. Coletânea de Performance “Memento Mori”. Santos-SP, Brasil 

(Tra)vestir um Fa(c)to. Curadoria José Maia. Espaço Mira. Porto, Portugal.

Beija-me. Organização e curadoria de Cia. Excessos (Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey). SESC Ribeirão Preto, Ribeirão Preto-SP, Brasil.

 

[2014]

Orexia. Barracão Maravilha. Rio de Janeiro-RJ, Brasil.

Moda e Religiosidade em Registros Corporais. Organização e curadoria de Tales Frey (Cia. Excessos). SESC Rio Preto, São José do Rio Preto-SP, Brasil.

 

[2013]

Moda e Religiosidade em Registros Corporais. Organização e curadoria de Tales Frey (Cia. Excessos). SESC Campinas, Campinas-SP, Brasil.

Moda e Religiosidade em Registros Corporais. Organização e curadoria de Tales Frey (Cia. Excessos). Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães, Portugal.

Beija-me. Organização e curadoria de Cia. Excessos (Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey). Estação Cultura, Catanduva-SP, Brasil.

 

Exposições Coletivas

[2017]

XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira – Da Pop Art às Transvanguardas. Apropriações da Arte Popular. Vila Nova de Cerveira, Portugal.

II Bienal Internacional de Arte Gaia 2017. Obras Selecionadas. Vila Nova de Gaia, Portugal.

Ser ou Não Ser… Eis a Questão!? Curadoria de José Rosinhas. II Bienal Internacional de Arte Gaia 2017. Vila Nova de Gaia, Portugal.

Perfídia. Festival de Performance e Novas Mídias. Curadoria de Luciana Ramin e Otávio Oscar. São José do Rio Preto-SP, Brasil.

FONLAD – Festival Internacional de Vídeo Arte e Performance. Galeria Santa Clara. Coimbra. Portugal.

FONLAD – Seleção Especial 2017. Museu da Água. De 02 a 11 de junho de 2017. Coimbra. Portugal.

Rapid Pulse Festival Performance Art 2017: Video Series / Embodied Politics. Defibrillator Gallery. Chicago, Estados Unidos.

Festival Temporal. 11 a 15 de maio de 2017. Assunção, Paraguai.

Subterrânea #2 – Mostra Diversa Videoarte. 20 de abril de 2017. @pyranhas, Belo Horizonte, MG, Brasil.

Trânsitos Feministas. CES – Centro de Estudos Sociais. 05 a 27 de abril de 2017. Coimbra, Portugal.

Do it. Curadoria de Hans-Ulrich Obrist. Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Março a junho de 2017. Porto, Portugal.

Palavra Líquida. SESC Tijuca. 14 de março a 16 de abril de 2017. Rio de Janeiro-RJ, Brasil.

Queer Stock. The Complex Space. 20 de janeiro de 2017. Dublin, Irlanda.

 

[2016]

Mostra XØKE. 8 a 11 de dezembro de 2016. Florianópolis-SC, Brasil.

Paratissima – TPA torinoperformanceart. Curadoria de Manuela Macco e Guido Salvini. 2 a 6 de novembro de 2016. Turim, Itália

My Body is a Cage.  Galeria Luciana Caravello. Curadoria de Raphael Fonseca. Outubro de 2016. Rio de Janeiro, Brasil. 

II Colóquio de Estudantes de Mestrado e Doutoramento em Estudos Feministas. Universidade de Coimbra. Outubro de 2016. Coimbra, Portugal.

A Natureza da Margem. 20º Queer Lisboa. Curadoria de José Aparício Gonçalves. Oficina Irmãos Marques. 16 de setembro a 1 de outubro. Lisboa, Portugal.

III Bienal de Performance Horasperdidas. Curadoria de Celeste Flores. 24 a 27 de agosto de 2016. Monterrey. México.

Sixth Under the Subway Video Art Night. Curadoria por Pop up Kino. The Local NY (New York, USA). Project Space Kleiner Salon (Berlim, Alemanha). La Casa Encendida (Madrid, Espanha); KINO PALAIS, Palais de Glace – Palacio Nacional de las Artes (Buenos Aires, Argentina); Octubre Centre de Cultura Contemporània (Valência, Espanha). 25 de junho de 2016.

Esforços #2 – Mostra de Performances. Curadoria de Caio Riscado e Lucas Canavarro. Olho da Rua. Rio de Janeiro-RJ, Brasil.

2º Tran(s)arau – Do Pulso à Virilha. Curadoria de André Rosa. Coimbra. Portugal.

Em Tudo Quanto é Mundo Dito ou Não Dito. Cinema Batalha, Desobedoc 2016, Porto, Portugal, 2016. Curadoria de José Maia.

Mostra IP- Mostra Nacional de Vídeos, Intervenções e Performances. Abril de 2016. Varandão CCE-UFSC. Florianópolis-SC, Brasil; Festival Laplataformance. Oficina Cultural Oswald Andrade, São Paulo, Brasil; Estação Cultura, Catanduva-SP, Brasil; Criciúma/SC; Unifap. Macapá, Brasil.

12ª FONLAD – Video & Performance Art Festival. 22 de abril a 07 de maio. Estúdio Dois, na Galeria Santa Clara e Galerias Avenida. Coimbra, Portugal.

Trees Outside the Academy #2. CAAA – Centro Para os Assuntos da Arte e Arquitectura. De 16 de abril a 11 de junho de 2016. Guimarães, Portugal.

PerfoArtNet: V International Biennial of Performance. Curadoria de Consuelo Pabón. Maio de 2016. Bogotá, Colômbia.

ENAP Encuentro Nacional de Performance. 29 de abril a 01 de maio de 2016. Curadoria de Laura Lubozac. Centro de Arte y Filosofía. Machuca de Soto, México.

Traverse Vidéo. Institut Supérieur des arts. 28 de março de 2016. Toulouse, França.

Topical Breach, Mainsite Gallery. Curadoria de Jessica Borusky. Norman, Oklahoma, Estados Unidos. Março de 2016.

Brasil: Ficciones. Curadoria de Laurem Crossetti. Espacio Tangente. Janeiro e fevereiro de 2016. Burgos, Espanha.

Exposição coletiva torinoPERFORMANCEART – tpa video performance: selection 4. Curadoria de Manuela Macco, Guido Salvini. Galleria Moitre. Janeiro de 2016. Turim, Itália.

 

[2015]

SESC Santos. Coletânea de Performance “Memento Mori”. Santos-SP, Brasil

CÓDEC Festival de Vídeo Y Creaciones Sonoras, Cidade do México, México.

TRAFKINTU. Co-habitar III, Espaço Independente de Arte Contemporânea Gálvez Inc., Pasaje Gálvez, 167, Cerro Concepción, Valparaíso, Chile.

Mostra EN DIFERIDO. 7º Encuentro de Acción en Vivo y Diferido, A SEIS MANOS, Bogotá, Colômbia.

Convergência 2015. Mostra de Performance Arte, Sesc Tocantins, Palmas, Brasil.

Projeto transdisciplinar TRANS[acto]#02/2015. Curadoria de Anderson Paiva, Cinthia Patroni e Isabel Maria Dos. Boa Vista, Brasil.

Pornífero Festival de Arte Pós-Pornô | Itinerância do Festival de Lima/ PERU do evento Monstruosas: Subpolíticas e Descolonialidades. Espaço Casarão, Recife, Brasil.

I Bienal de Arte de Gaia 2015. Curadoria da Direção de Artistas de Gaia. Vila Nova de Gaia, Portugal.

XVIII Bienal Internacional de Arte de Cerveira: Olhar o passado para construir o futuro. Vila Nova de Cerveira, Portugal.

Projeto transdisciplinar TRANS[acto]#01/2015. Curadoria de Isabel Maria Dos. Coimbra, Portugal.

Exposição coletiva Múltiplas Perspectivas e não menos Contradições e Sonhos. Curadoria de José Maia. I Bienal da Maia: Lugares de Viagem, Maia, Portugal.

Exposição coletiva Cemitério do Peixe – Morte e Magia nas Artes Visuais. Curadoria de Francilins. Cemitério do Peixe, Conceição do Mato Dentro, Minas Gerais, Brasil.

Exposição coletiva Brasil: Ficções. Curadoria de Laurem Crossetti. Armazém do Chá, Porto, Portugal.

Exposição coletiva tpa Exchange. Curadoria de Manuela Macco e Guido Salvini. Galleria Moitre, Turim, Itália.

 

[2014]

Projeto Lacuna: Mostra de Videoarte. Galeria Alfinete, Brasília, Brasil.

18º Salão de Artes Plásticas de Catanduva. Salão de Exposições, Estação Cultura, Catanduva, SP, Brasil.

1º Bienal Internacional de Videoarte y Animación Puebla 2014. Instituto Municipal de Arte y Cultura de Puebla – IMACP, Puebla, México.

Mostra de vídeos do I Encontro de Performance IPêrformático. Museu de Arte Contemporânea do Mato Grosso do Sul – MARCO, Campo Grande, Brasil.

Exposição coletiva “Trees Outside the Academy”: Práticas colectivas/ Collective Practices. Organização e curadoria de Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura – CAAA. Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura. Junho/Julho de 2014. Guimarães, Portugal.

Exposição coletiva SENTIDO(S) DIRECTION(S) #2. Curadoria de Luísa Rosas e Ana Catarina Brito. Fórum Maia, Maia, Portugal.

Performance-instalação/exposição Orexia de Tales Frey (Cia. Excessos). Barracão Maravilha, Rio de Janeiro, Brasil.

Exposição coletiva Corpo (i)materializado. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Mostra Performatus #1, Central Galeria de Arte, São Paulo, Brasil.

 

[2013]

Inauguração Associação Cultural ZOOM. Barcelos, Portugal.

Exposição coletiva Corpos Ausentes – III Circuito Regional de Performance BodeArte. Curadoria de ES3 (André Bezerra e Chrystine Silva). Pinacoteca do Estado do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Festival torinoPERFORMANCEART 2013. Curadoria de Guido Salvini. Turim, Itália.

Rapid Pulse Festival Performance Art 2013: Video Series. Defibrillator Performance Art Gallery, Chicago, Estados Unidos.

Videada.05. Elgalpon.espacio, Lima, Peru

Kuala Lumpur 7th Triennial – Barricade. Curadoria de Kok Siew Wai, Kuala Lumpur, Malásia.

 

[2012]

Exposição coletiva Trânsitos / Visualidades. Curadoria de José Cirilo e Marcos Martins. Seminário Ibero-americano “Poéticas da Criação”, Vitória, Brasil.

KLEX in Georgetown. Penang, Malásia.

Ciclo Nómada. La Tabacalera, Madri, Espanha.

I Am Braziliality. Forman’s Smokehouse Gallery. Curadoria de Alicia Bastos, Bianca Turner e Pier Tosta. Londres, Inglaterra.

FILMIDEO. Index Art Center, Newark, New Jersey, Estados Unidos.

Lançamento do livro Emergency Index 2011. The Kitchen, Nova York, Estados Unidos.

The Biennial 6th Bangkok Experimental Film Festival (BEFF6). Bangkok Art and Culture Centre, Bangkok, Tailândia.

 

[2011]

The 2nd Kuala Lumpur Experimental Film and Video Festival 2011 – KLEX. Kuala Lumpur, Malásia.

VideoDanzaBa. Buenos Aires, Argentina.

4º Festival Internacional de Videoarte de Camagüey. Camagüey, Cuba.

Direct Action. Institut Für Alles Mögliche, Berlim, Alemanha.

Directors Lounge – Contemporary art and media. Curadoria de Kika Nicolela. Berlim, Alemanha.

Short Film Corner – Festival de Cannes. Cannes, França.

 

[2010]

Experimenta! SESC Campinas. Campinas, SP, Brasil.

Optica Festival. Galerie Carla Magna. Paris, França

London Premiere. Londres, Inglaterra.

Wikitopia. Hong Kong, China.

Cine Design. Recife, Brasil.

Faz-me um bídeo. Palácio de Cristal, Porto. Portugal

Videoforms Festival. Clermont-Ferrand, França.

Supermarket Art Fair. Estocolmo, Suécia.

 

[2009]

Alucine Toronto Latino Media Festival. Toronto, Canadá.

Kulturpalast Wedding Internacional. Berlim, Alemanha.

Artists Acces Television. São Francisco, Estados Unidos.

Magacin. Belgrado, Sérvia

Contato Festival. São Carlos, Brasil.

V.art09. Varnamo, Suécia.

  

Coleções Públicas

Galeria Sput&Nik. Políptico fotográfico High Heel (edição 1/15). Desde 2017. Porto. Portugal.

Museu Bienal de Cerveira. Obra Estar a Par (edição 1/3). Desde 2017. Vila Nova de Cerveira. Portugal.

IMACP. Instituto Municipal de Arte y Cultura de Puebla. Obra em vídeo À-Terra-Dor (edição 1/5). Desde 2014. Puebla. México.

MAC-USP. Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo. Obra em vídeo Re-banho (edição 1/5). Desde 2013. São Paulo. Brasil.

Pinacoteca João Nasser. Obra em vídeo Coma! (edição 1/5), Cabra-cega, o que perdeste? (edição 1/3), Ide! (edição 1/5). Desde 2015. Catanduva-SP. Brasil.

 

Prêmios

[2017]

Prêmio Aquisição Câmara de Vila Nova de Cerveira. XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira em 2017. Vila Nova de Cerveira, Portugal.

Menção Honrosa na II Bienal Internacional de Arte Gaia 2017. Vila Nova de Gaia, Portugal.

 

[2014]

Artista revelação no 18º Salão Contemporâneo pertencente ao São de Artes Plásticas de Catanduva com a obra À-Terra-Dor (2014). Catanduva – São Paulo, 2014. Brasil.

 

[2007]

Melhor Direção de Fotografia. A Acossada. Roteiro e Direção de Larissa Câmara. I Festival Carioca de Cinema de Curta-Metragem dos Amigos Teatrais. Café Cultural Petrobrás. Rio de Janeiro, 2007. Brasil.

 

[2006]

Melhor Figurino para Espetáculo Adulto. O Teste. De Eliseu Paranhos. Direção: Bhá Bocchi Prince. Festival Aldeia FIT. S.J. do Rio Preto – São Paulo, 2006. Brasil.

 

Residências artísticas

[2018]

Selecionado para residência na galeria Zsenne. Setembro de 2018. Bruxelas. Bélgica.

Edifício Transparente. Janeiro de 2018. Porto. Portugal.

 

[2017]

Mira Artes Performativas. Dezembro de 2017. Porto. Portugal.

 

[2015|2016]

Selecionado para residência com duração de 1 mês no Fjúk Arts Centre. Dezembro de 2015 a janeiro de 2016. Húsavík. Islândia.

 

[2013]

Artista convidado pelo NEC – Núcleo de Experimentação Coreográfica para integrar o programa de residência artística 6X6, ocorrido no Mosteiro de São Bento da Vitória na cidade do Porto em Portugal.

 

Apresentações de performances ao vivo:

[2018]

Atos de Fala, Atos de Corpo. SESC Santo Amaro. Curadoria de Renan Marcondes e Marcos Villas. São Paulo, Brasil.

SESC São Carlos. Março de 2018. São Carlos-SP, Brasil.

86º Aniversário Rivoli. Janeiro de 2018. Teatro Municipal Rivoli. Porto, Portugal.

 

[2017]

MIRA Artes Performativas. Dezembro de 2017. Porto, Portugal.

Paralela arte.corpo.performance – 3ª edição. Novembro de 2017. Uberlândia-MG, Brasil.

SESC Araraquara. Novembro de 2017. Araraquara-SP, Brasil.

Associação ZOOM. Outubro de 2017. Barcelos, Portugal.

SESC Santana. Julho de 2017. São Paulo-SP, Brasil.

SESC Rio Preto. Julho de 2017. São José do Rio Preto-SP, Brasil.

Pinacoteca Municipal João Nasser. Junho de 2017. Catanduva-SP, Brasil.

SESC Registro. Junho de 2017. Registro-SP, Brasil.

AMOQA – Athens Museum of Queer Arts. Maio de 2017. Atenas, Grécia.

Atmo #3. Curadoria de Rodrigo Garcia e Rosa Grün. Maio de 2017. Berlim, Alemanha.

SESC Tijuca. Exposição coletiva Palavra Líquida. Março de 2017. Rio de Janeiro-RJ, Brasil.

Do it. Curadoria de Hans-Ulrich Obrist. Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Março de 2017. Porto, Portugal.

Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural. 27 de fevereiro de 2017. Porto, Portugal.

Projeto T3. Café-Concerto ESMAE. Fevereiro de 2017. Porto, Portugal.

 

[2016]

Fundação Theatro Municipal de São Paulo. Presença Permeável. Praça das Artes. Novembro de 2016. São Paulo-SP. Brasil.

SESC Palladium. Novembro de 2016. Belo Horizonte-MG, Brasil.

SESC TO. Convergência. Outubro de 2016. Palmas-TO, Brasil.

2º Queer Porto. Espaço de Intervenção Cultural Maus Hábitos. Outubro de 2016. Porto, Portugal.

Queer Lisboa – 20º edição. Cinema São Jorge e Late Birds. Setembro de 2016. Lisboa, Portugal.

SESC Campinas. Setembro de 2016. Campinas-SP, Brasil.

SESC Santos e Cadeia Velha. Festival Mirada 2016. Setembro de 2016. Santos-SP, Brasil.

III Bienal de Performance HorasPerdidas. Curadoria de Celeste Flores. Agosto de 2016. Monterrey. México.

Corpus Urbis. Museu Fortaleza de São José. Agosto de 2016. Macapá-AP.

SESC Sorocaba. Agosto de 2016. Sorocaba-SP, Brasil.

SESC Barra Mansa. Agosto de 2016. Barra Mansa-RJ, Brasil.

SESC Rio Preto. 22 de julho de 2016. São José do Rio Preto-SP, Brasil.

CAAA – Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura. Junho de 2016. Guimarães. Portugal.

Estação Cultura. Secretaria Municipal de Cultura de Catanduva. 21 de maio de 2016. Catanduva-SP, Brasil.

SESC Ribeirão Preto. Coletânea Memento Mori. Maio de 2016. Ribeirão Preto-SP, Brasil.

Em Tudo Quanto é Mundo Dito ou Não Dito. Cinema Batalha, Desobedoc 2016, Abril de 2016. Curadoria de José Maia.Porto, Portugal.

Espaço MIRA. Abril de 2016. Porto, Portugal.

Museu Julio Dinis. Abril de 2016. Ovar, Portugal.

DARC. 13 de março de 2016. Londres, Inglaterra.

Performance Agora!. Teatro Académico Gil Vicente. Janeiro e Feverieiro de 2016. Coimbra. Portugal.

 

[2015]

Paço das Artes. Perfor 6 [quem?] – Encontro de Performance. Realização: Brasil Preformance. Dia 13 de novembro de 2015. São Paulo-SP, Brasil.

SESC Santos. Novembro de 2015. Santos-SP, Brasil.

Perfomapa. SESC Ipiranga. Novembro de 2015. São Paulo-SP, Brasil.

1º Queer Porto. Espaço de Intervenção Cultural Maus Hábitos. Outubro de 2015. Porto, Portugal.

SESC Rio Preto. Junho de 2015. S.J. Rio Preto-SP, Brasil.

I Bienal da Maia: Lugares de Viagem. Mostra de Performance. Curadoria de José Maia. Junho de 2015. Maia, Portugal.

Atos em Ações II. Festival Internacional de Performances e Intervenções. Largo da Boa Morte. Junho de 2015. Limeira-SP, Brasil.

Mostra Performance em Encontro. SESC Campinas. Curadoria de Cássio Quitério. Junho de 2015. Campinas-SP, Brasil.

SESC Santana. Julho de 2015. São Paulo-SP. Brasil.

Espaço Mira. Exposição coletiva (Tra)vestir um Fa(c)to. Curadoria de José Maia. Maio a junho de 2015. Porto, Portugal.

Quinta da Bonjóia. Exposição coletiva O Passeio, a Escuta e o Respirar da Acção. Curadoria de José Maia, Susana Rodrigues e Maria Côrte-Real. Abril de 2015. Porto, Portugal.

Mostra Foco Brasil. Teatro Municipal Rivoli. Março de 2015. Porto. Portugal.

83º Aniversário do Teatro Municipal Rivoli. Janeiro de 2015. Porto. Portugal.

 

[2014]

Centro para os Assuntos da Arte e da Arquitectura. Junho de 2014. Guimarães. Portugal.

p.Arte. Mostra de Performance Arte. Maio de 2014. Curitiba-PR, Brasil. 

Barracão Maravilha. Maio de 2014. Rio de Janeiro-RJ. Brasil.

Corpo Hospedeiro. SESC São José do Rio Preto / São Paulo. Abril de 2014. S. J. do Rio Preto-SP, Brasil.

SESC Piracicaba. Março de 2014. Piracicaba-SP, Brasil.

 

[2013]

Mostra Performance. SESC Campinas / São Paulo. 14 de Novembro. Campinas-SP, Brasil.

Performance Platform Lublin 2013. Labirynt Gallery. Outubro de 2013. Lublin, Polônia.

Exposição Moda e Religiosidade em Registros Corporais. CAAA – Centro para os Assuntos da Arte e da Arquitectura. Junho de 2013. Guimarães. Portugal.

Estação Cultura. Secretaria Municipal de Cultura de Catanduva. IV Festival de Formas Poéticas. Exposição Beija-me. Março de 2013. Catanduva-SP. Brasil.

 

[2012]

Maus Hábitos – Espaço de Intervenção Cultural. Tômbola Show. Curadoria de Marta Bernardes. Outubro de 2012. Porto, Portugal.

Festival de Performance de Belo Horizonte. Agosto de 2011. Belo Horizonte-MG, Brasil.

Stockholm Fringe Fest (STOFF). Agosto de 2011. Estocolmo, Suécia.

Colóquio “Estudos Feministas: O Futuro do Passado”Colóquio da pós-graduação em Estudos Feministas da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Julho de 2012. Coimbra, Portugal.

Rapid Pulse Performance Art Festival. Defibrillator Gallery. Junho de 2012. Chicago. EUA

Palácio das Artes/Fábrica de Talentos. 26ª Feira Franca. Junho de 2012. Porto. Portugal.

Palácio das Artes/Fábrica de Talentos. 25ª Feira Franca. Maio de 2012. Porto. Portugal.

Espaço de Intervenção Cultural Maus Hábitos. Pussy Faggot. Curadoria de Daniel Pinheiro. Maio de 2012. Porto. Portugal.

XII Semana de História da Arte da FLUP. Faculdade de Letras, Universidade do Porto. Abril de 2012. Porto, Portugal.

Espaço de Intervenção Cultural Maus Hábitos. Tômbola Show. Curadoria de Marta Bernardes. Março de 2012. Porto. Portugal.

 

[2011]

Exposição Love me. Espaço de Intervenção Cultural Mercado Negro. Fevereiro de 2011. Aveiro. Portugal.

 

[2010]

Igreja de Santo Ildefonso. Outubro de 2010. Porto. Portugal.

Embaixada Lomográfica. Evento Alma da Rua. Julho de 2010. Porto. Portugal.

SESC Taubaté. Janeiro de 2010. Taubaté – SP. Brasil.

 

[2009]

SESC Bauru. Outubro de 2009. Bauru – SP. Brasil.

Embaixada Lomográfica. Alma da Rua. Julho de 2009. Porto. Portugal.

Jardim de São Lázaro. Maio de 2009. Porto, Portugal.

MOLA – Mostra Livre de Artes. Circo Voador. Outubro de 2009. Rio de Janeiro. Brasil.

Rua dos Clérigos. Janeiro de 2009. Porto. Portugal.

 

[2007]

MOLA – Mostra Livre de Artes. Circo Voador. Outubro de 2007. Rio de Janeiro. Brasil.

 

[2006]

CCBB- Centro Cultural do Banco do Brasil durante a exposição Erótica: Os Sentidos da Arte (sem autorização). Janeiro de 2006. Rio de Janeiro. Brasil.

 

[2005]

7º Encontro de Artes Cênicas. Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Junho de 2005. Rio de Janeiro, Brasil.

 

[2002]

SAPO – Semana de Arte da Poli – USP. Outubro de 2002. São Paulo. Brasil.

 

Curadoria

[2017]

Mostra Performatus #2 – O que está à luz do nosso tempo, discernimos no escuro. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey, SESC Santos, Santos-SP, Brasil.

Exposição individual O que o Corpo Abriga do artista Renan Marcondes. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães, Portugal.

Exposição individual Macumba Visual da artista Ana Seixas. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Guimarães, Portugal.

 

[2016] 

Exposição individual Macumba Visual da artista Ana Seixas. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Espaço de realização da exposição: Espaço Bo, Porto, Portugal.

 

[2015] 

Exposição coletiva Trabalha-dores do CU. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Espaço de realização da exposição: Espaço de intervenção Cultural Maus Hábitos, Porto, Portugal.

Exposição ÁguaAr de Suzana Queiroga. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Espaço de realização da exposição: Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura – CAAA, Guimarães, Portugal.

Exposição coletiva Beija-me. Organização e curadoria de Cia. Excessos (Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey). Espaço de realização da exposição: SESC Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, Brasil.

 

[2014] 

Exposição coletiva Moda e Religiosidade em Registros Corporais. Organização e curadoria de Tales Frey (Tales Frey). SESC Rio Preto, São José do Rio Preto, Brasil.

Exposição Priscilla Davanzo: Lugares da Escrita. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey. Espaço de realização da exposição: Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura – CAAA, Guimarães, Portugal.

Mostra Performatus #1 – Corpo (i)materializado. Curadoria de Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey, Central Galeria de Arte, São Paulo, Brasil.

 

 

Download Currículo e Portfólio do Artista (ambos em PDF para download)