Tales Frey

Estar a Par

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Estar a Par – Objeto, 2017. Objeto, 63 x 12 x 11,5 cm. Edição: 3 + 2 P.A.

Prêmio Aquisição Câmara de Vila Nova de Cerveira na XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira em 2017

 

Calçando um mesmo par de sapatos com entrada para quatro pés, proponho uma convivência de duas horas ininterruptas com meu marido Paulo Aureliano da Mata, com quem percorro, em silêncio, toda a área delimitada para a ação acontecer. O design do objeto força que nossos corpos estejam posicionados um de frente para o outro e que nossos passos assemelhem-se aos de uma dança a par. Durante esse convívio, exploramos juntos as oscilações dos nossos estados físicos e mentais até o final do tempo estipulado. Acabada a performance, o par de sapatos pode permanecer em exposição juntamente com o vídeo-registro da ação.

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Estar a Par, 2017. Fotografia, 41,5 cm x 30 cm. Edição: 3 + 2 P.A. 

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Estar a Par, 2017. Vídeo, 41’’. Edição: 5 + 2 P.A.

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Estar a Par, 2017. Vídeo, 3’50’’. Edição: 5 + 2 P.A.

 

FICHA TÉCNICA

Performance de Tales Frey | Participação exclusiva de Paulo Aureliano da Mata | Duração: 2 horas

 

HISTÓRICO

AO VIVO

[2018] 86º Aniversário Rivoli. Teatro Municipal Rivoli, Porto, Portugal.

[2017] SESC Santana. São Paulo, SP, Brasil.

[2017] SESC Registro. Registro, SP, Brasil.

[2017] Athens Museum of Queer Arts – AMOQA, Atenas, Grécia.

 

SOB FORMATO VIDEO, INSTALAÇÃO E/OU FOTOGRAFIA

[2017] SESC Araraquara. Araraquara, SP, Brasil.

[2017] 2nd PERFORM – OR NOT. Galery 3,14 Tallinn, Estônia.

[2017] Convergência 2017. SESC Palmas, Palmas, TO, Brasil.

[2017] To be Privy. Curadoria de Rob Garrett. Corner Window Gallery, Auckland, Nova Zelândia.

[2017] XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira: Da Pop Arte às Trans-vanguardas. Vila Nova de Cerveira, Portugal.

 

Vestido (2015) e Estar a Par (2017), de Tales Frey (Cia. Excessos) na XIX Bienal Internacional de Arte de Cerveira: Da Pop Arte às Trans-vanguardas. Vila Nova de Cerveira, Portugal, 2017. Fotografia de Helena Ferreira