Tales Frey

(Tra)vestir um Fa(c)to

 

Tales Frey (Cia. Excessos), (Tra)vestir um Fa(c)to (Políptico), 2015. Fotografias, 100 x 44,4 cm ao todo. Edição: 7 + 2 P.A.

 

Vestir um fato. Vestir um facto. Travestir um fato. Travestir um facto.

O vídeo expõe dois corpos masculinos, cada qual com dois tipos de fato de casamento: ora é apresentado um fato considerado masculino ora um fato considerado feminino. Um facto social é erigido em quatro combinações de indumentos dispostos sobre cada indivíduo de um único casal homossexual, levando em conta que suas identidades, como todas as outras, não são cristalizadas, não são estruturas fixas; elas estão em constante construção e ultrapassam até mesmo as quatro construções propostas.

 

HISTÓRICO

[2017] Exposição coletiva Palavra Líquida, SESC Tijuca, Rio de Janeiro, Brasil.

[2016] SESC Campinas, Campinas, SP, Brasil.

[2016] Exposição coletiva Em Estado de Guerra. Organização e curadoria de Cia. Excessos (Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey). Teatro Académico de Gil Vicente, Coimbra, Portugal.

[2015] Projeto transdisciplinar TRANS[acto]#01/2015. Concepção de Isabel Maria Dos. Coimbra, Portugal.

[2015] Exposição coletiva (Tra)vestir um fa(c)to. Curadoria de José Maia. Espaço MIRA, Porto, Portugal.

 

Tales Frey (Cia. Excessos), (Tra)vestir um Fa(c)to, 2015. Vídeo, 45”. Edição: 7 + 2 P.A.