Tales Frey

Ponto Comum

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Ponto Comum – Catanduva, 2017. Vídeo, 3’03”. Edição: 5 + 2 P.A.

 

Visualmente, proponho uma espécie de escultura cinética em que dois corpos – conectados sob o auxílio de um indumento específico – convivem por um tempo estipulado dentro de um único traje, o qual faz com que ambos pareçam dançar grudados pelo espaço quando eles simplesmente estão se locomovendo pelo ambiente.

Se por um lado, podemos imaginar a convergência de duas vidas, por outro fantasiamos o oposto: a divergência. Aludimos à fissão binária de organismos unicelulares e vemos, de uma só vez, o instante que pode significar tanto a junção como a separação, tanto vemos surgir como dissipar duas existências, misturamos o que representaria o nascimento com o anúncio da morte.

Esta ação é a 5ª criação pertencente à série Memento Mori, através da qual transformo os ritos de passagem dos meus aniversários em ações de performance. Nesta criação, conto com a participação exclusiva da minha irmã nascida exatamente um ano antes de mim. 20 de junho é o dia em que juntos comemoramos o nosso aniversário.

 

FICHA TÉCNICA

Performance de Tales Frey | Participação exclusiva de Paola Frey | Realização: Cia. Excessos | Duração: Variável

 

HISTÓRICO

[2017] FIT – Festival Internacional de Teatro. SESC Rio Preto, São José do Rio Preto, SP, Brasil.

[2017] Olhar Singular: Um Convite para Novas Perspectivas. Pinacoteca João Nasser, Catanduva, SP, Brasil.