Tales Frey

Vidrar

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Vidrar, 2015. Vídeo, 12’32’’. Edição: 5 + 2 P.A.

 

Sobre uma superfície de vidro, exponho uma figura fantasmagórica e vidrada a executar uma única ação com auxílio de um batom vermelho. Ininterruptamente, aplico beijos sobre uma superfície transparente de vidro até que a mesma fique completamente translúcida e manchada pelo tom ruborizado da maquiagem em sua totalidade, até tornar turva a minha imagem para o olhar do espectador. Ora o olhar vidrado está além do ecrã e ora aquém, comprometendo tanto o corpo ilusório quanto o de carne e osso que o observa.

 

HISTÓRICO

[2017] Exposição coletiva Trânsitos Feministas. CES – Centro de Estudos Sociais, Coimbra, Portugal.

[2017] La Videoperformance. Curadoria de Paola Zucchello. Art Web Gallery, Génova, Itália.

[2016] A Natureza da Margem, 20ª edição do festival Queer Lisboa, curadoria de José Aparício Gonçalves. Oficina Irmãos Marques, Lisboa, Portugal.

[2016] SESC Campinas, Campinas, SP, Brasil.

[2016] Exposição coletiva Em Estado de Guerra. Organização e curadoria de Cia. Excessos (Paulo Aureliano da Mata e Tales Frey). Teatro Académico de Gil Vicente, Coimbra, Portugal.

[2015] Exposição coletiva (Tra)vestir um Fa(c)to. Curadoria de José Maia. Espaço MIRA, Porto, Portugal.

 

Tales Frey (Cia. Excessos), Vidrar (Políptico), 2015. Fotografia, 50 x 37,5 cm cada. Edição: 5 + 2 P.A.